Depende

  O desastre na operação Ouvidos Moucos, que resultou no suicídio do reitor da UFSC, Luiz Carlos Cancelier, foi e está sendo um pesadelo para a ainda delegada da PF em SC, Erika Marena, sua principal responsável. Sua nomeação para chefiar a PF em Sergipe só vai acontecer com o fim da sindicância da Corregedoria da corporação, que apura os lamentáveis fatos. Se não fosse o destrambelhada coordenação,  Marena poderia ter dias maravilhosamente melhores em termos profissionais. Ela estava na lista tríplice, e a mais votada, que os delegados da PF enviaram ao ministro da Justiça, Torquato Jardim, para a indicação do substituto de Leandro Daiello. Fernando Segovia foi o escolhido.

Categorias:Sem categoria Marcadores:
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. Nenhum trackback ainda.